Quinta, 26 de Novembro de 2020 23:27
67984690667
Saúde Saúde física

Conheça os três pilares na prevenção da osteoporose

Veja as ações no combate do problema que enfraquece os ossos

26/10/2020 15h52 Atualizada há 1 mês
Por: Redação
Conheça os três pilares na prevenção da osteoporose

 

Todos nós queremos uma vida longa para desfrutar do amor, nos conectar com amigos, viajar e tudo o que quisermos. Mas ninguém pode imaginar envelhecer na cama, com dores e dependendo de outras pessoas para os cuidados mínimos diários. Se esta é a sua preocupação, você precisa se preparar para que isso não aconteça com você. E uma das principais causas desse martírio é a osteoporose.

Estamos falando de uma doença que causa enfraquecimento dos ossos. Isso facilita a ocorrência de fraturas, que causam muita dor, deformidade e incapacidade física. Ela restringe a mobilidade e a qualidade de vida e pode até antecipar a morte.

A prevenção da osteoporose deve fazer parte de todos os folhetos escolares. Sim, porque a prevenção tem que começar na infância. Do nascimento à idade adulta, nosso corpo cresce graças aos ossos. Em alguns momentos de nossa vida, a taxa de crescimento dos ossos ultrapassa 1 0 centímetros por ano! Esta é uma fase crítica em que podemos torná-los mais fortes para que nos carreguem pelo resto de nossas vidas.

E há um tripé para manutenção que foi introduzido ao longo dos anos para manter esse processo em andamento. O tripé contém dieta, atividade física e quantidades adequadas de vitamina D.

Alimente os ossos

Da alimentação retiramos os principais nutrientes que fortalecem os ossos: Cálcio, energia e proteínas. A energia deve vir de fontes saudáveis, como vegetais, frutas e grãos. As principais fontes de proteína como leite, carne e ovos também trazem outros nutrientes importantes. Do leite e seus derivados, removemos a maior parte do cálcio de que nosso corpo precisa para crescer e mineralizar os ossos, o que os torna resistentes.

O consumo deve ser diário e é a base da alimentação do bebê durante o rápido crescimento dos primeiros meses de vida - e continua sendo importante por toda a nossa existência. Isso ocorre porque temos uma perda constante e inevitável de cálcio na urina todos os dias. Se não for reposto, os ossos serão punidos porque o cálcio que falta no corpo será removido do esqueleto e enfraquecido. Por esse motivo, os adultos também são recomendados a consumir duas a três porções de laticínios (por exemplo, leite, queijo, iogurte, quark ou ricota) todos os dias ao longo da vida.

A vitamina que vem do sol

A vitamina D, substância produzida em nossa pele quando estamos expostos ao sol, é essencial para o aproveitamento do cálcio alimentar. Sua deficiência severa na infância leva a uma doença óssea chamada raquitismo. Por esse motivo, bebês e crianças devem receber suplementos vitamínicos desde o nascimento.

Em pessoas mais velhas, a deficiência de vitamina D leva à osteoporose ou osteomalacea, dependendo da gravidade. Há muito debate sobre os riscos do banho de sol e das queimaduras solares, mas se feito com responsabilidade, eles são fontes seguras de vitamina D, especialmente considerando o fato de que precisamos de alguns minutos de sol todos os dias para produzir quantidades adequadas.

Se esse contato com o sol não for possível, o complemento é recomendado, o que vale principalmente para os idosos, mas também para pessoas com um estilo de vida que não favorece a exposição solar.

O exercício fortalece o esqueleto

Finalmente, mas não menos importante, temos atividade física. Nossos ossos são forjados para suportar as tensões e as tensões a que serão expostos ao longo de suas vidas. São estruturas que podem se adaptar e quanto mais são desafiadas, mais fortes e resilientes se tornam. O sedentarismo é um dos principais inimigos do nosso esqueleto. Promove a reabsorção óssea porque a natureza é econômica e conclui que não precisa ser forte quando não estiver em uso. Manter a atividade física constante ao longo da vida é, portanto, um dos pilares mais importantes na prevenção da osteoporose.

Claro, a genética também desempenha um papel fundamental nesta equação. Apesar de todas as precauções acima, nem sempre podemos prevenir completamente a ocorrência de osteoporose. No entanto, chegará mais tarde e com menor gravidade para quem fizer o dever de casa durante a vida.

* Marise Lazaretti Castro é endocrinologista, diretora de comunicação da Associação Brasileira de Exame Ósseo e Osteometabolismo (Abrasso) e professora titular da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.