Segunda, 30 de Novembro de 2020 22:40
67984690667
Saúde Covid-19

O coronavírus pode invadir diretamente seu cérebro, aponta pesquisa americana

O estudo ainda é preliminar - mas oferece várias novas linhas de evidência para apoiar o que antes era uma teoria amplamente não testada

12/09/2020 10h01 Atualizada há 3 meses
Por: Redação
O coronavírus pode invadir diretamente seu cérebro, aponta pesquisa americana

Dores de cabeça, confusão e delírio experimentados por alguns pacientes com Covid-19 podem ser o resultado do coronavírus invadindo diretamente o cérebro, de acordo com um estudo publicado na quarta-feira.

A pesquisa ainda é preliminar - mas oferece várias novas linhas de evidência para apoiar o que antes era uma teoria em grande parte não testada.

De acordo com o artigo, liderado pela imunologista de Yale Akiko Iwasaki, o vírus é capaz de se replicar dentro do cérebro e sua presença priva as células cerebrais próximas de oxigênio, embora a prevalência disso ainda não seja clara.

Andrew Josephson, chefe do departamento de neurologia da Universidade da Califórnia em São Francisco, elogiou as técnicas usadas no estudo e destacou que “compreender se existe ou não uma participação viral direta no cérebro é extremamente importante”.

Entretanto, acrescentou que ele seria cauteloso até que a pesquisa seja objeto de uma revisão por pares.

Não seria uma grande surpresa o SARS-CoV-2 ser capaz de penetrar a barreira hematoencefálica, uma estrutura que envolve os vasos sanguíneos do cérebro e tenta bloquear substâncias estranhas.

Os médicos até agora acreditavam que as consequências neurológicas observadas em aproximadamente metade dos pacientes hospitalizados com covid-19 poderiam ser resultado de uma resposta imunológica anormal, “a tempestade de citocinas”, que causava uma inflamação do cérebro em vez de uma invasão do vírus no cérebro.

A professora Iwasaki e seus colegas decidiram abordar o problema de três maneiras: infectando minicérebros criados em laboratório (os chamados organoides cerebrais), infectando ratos e examinando o cérebro de pacientes que morreram de covid-19.

Nos organoides cerebrais, a equipe descobriu que o vírus poderia infectar neurônios e depois “invadir” o mecanismo da célula neuronal para se duplicar.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.