Quinta, 02 de Julho de 2020 09:25
67984690667
Saúde Corpo saudável

Os efeitos do álcool nos ganhos musculares

O álcool pode afetar negativamente hormônio essencial para a hipertrofia

10/06/2020 10h23 Atualizada há 3 semanas
Por: Redação Fonte: ACE
Os efeitos do álcool nos ganhos musculares

Não há dúvida de que um plano nutricional eficaz pode afetar a perda de peso e os ganhos musculares. Pesquisas indicam que, quando se trata de perder peso ou ganhar músculos, o plano de nutrição de um atleta representa aproximadamente 75% da equação. Isso inclui bebidas, desde água para hidratação e bebidas com cafeína para desempenho até álcool para recreação. O álcool, especificamente, pode desempenhar um papel fundamental no descarrilamento dos objetivos do atleta, especialmente quando se trata de ganhos musculares.

Síntese de Músculos e Proteínas

A síntese proteica miofibrilar (SPM) é a força motriz por trás de como o corpo se adapta e responde ao exercício. Essa resposta está diretamente relacionada à recuperação e crescimento do músculo esquelético. Durante o período de recuperação após um treino, a SPM é significativamente elevada, o que torna a nutrição correta crucial para o crescimento muscular. Este também é o momento em que o álcool pode afetar negativamente os ganhos.

De fato, de acordo com este estudo, o consumo de álcool interfere na recuperação e regeneração muscular após o treinamento. Especificamente, as taxas de síntese proteica miofibrilar foram prejudicadas quando grandes quantidades de álcool foram consumidas dentro de oito horas após a sessão de exercícios, principalmente quando os praticantes não consumiram nenhuma proteína.

 Os pesquisadores também concluíram que o álcool adicionado prejudicou a capacidade do indivíduo de seguir um protocolo de recuperação apropriado após os exercícios. Além disso, o estudo constatou que mesmo a proteína adequada após um treino não conseguiu superar o impacto negativo do álcool na SPM.

Sistema imunológico

O sistema imunológico consiste em um grande número de células, tecidos e mensageiros que desempenham um papel fundamental na proteção do corpo contra infecções e na cura do corpo após lesões.

Um forte sistema imunológico não apenas aumenta o desempenho durante as sessões de treinamento, mas também ajuda os clientes a evitar infecções e lesões que, de outra forma, poderiam impedi-los de trabalhar em direção a objetivos de perda de peso e ganho muscular. O álcool, especialmente quando consumido em excesso, pode provar ser uma pressão sobre um sistema imunológico forte.

Pesquisas mostram que o sistema imunológico está altamente integrado aos nossos sistemas neurológico e endócrino, os quais devem estar em equilíbrio durante o treinamento e a recuperação dos exercícios para otimizar o crescimento muscular.

Não apenas o consumo excessivo de álcool pode levar à deficiência imunológica e maior suscetibilidade a certas doenças, como também pode colocar um estresse adicional no fígado. No geral, um sistema imunológico ativo e saudável é fundamental para atingir o pico de desempenho e recuperação.

Energia

Embora em alguns casos a ingestão de álcool possa afetar a síntese de glicogênio, esse não é o único efeito do álcool que pode deixar seus clientes com pouca energia durante os exercícios. O álcool pode causar um aumento na pressão sanguínea e na frequência cardíaca. Um aumento da frequência cardíaca durante atividades aeróbicas combinado com o estresse adicional do álcool pode fazer com que o exercício pareça mais difícil do que deveria, resultando em sessões de treinamento menos eficazes e em clientes muito menos motivados.

Desidratação

A desidratação tem vários efeitos negativos no corpo, desde induzir sentimentos de fadiga até causar baixo desempenho físico, aumentar a fome e interromper a capacidade das células musculares de produzir ATP.

Atuando como diurético e vasodilatador no organismo, o álcool pode exacerbar a desidratação, causando aumento da perda de líquidos. Quando desidratadas, as pessoas correm maior risco de sofrer lesões musculoesqueléticas, como cãibras, trações e distensões musculares. Esse risco aumentado de lesões pode resultar em tempo de treinamento reduzido e ganhos musculares diminuídos.

Sistema endócrino

Nenhuma discussão sobre ganhos musculares seria completa sem incluir o hormônio do crescimento. Predominantemente descrito como um hormônio anabólico, o hormônio do crescimento ajuda no crescimento e manutenção dos tecidos, incluindo músculo e colágeno. Mais especificamente, o hormônio do crescimento estimula a renovação das proteínas e a SPM durante e após o exercício. Além disso, esse hormônio ajuda a regular o metabolismo.

O álcool pode afetar negativamente esse hormônio essencial de duas maneiras diferentes, as quais podem reduzir significativamente os ganhos musculares:

Foi demonstrado que o álcool aumenta o hormônio do estresse cortisol, que pode reduzir os níveis de hormônio do crescimento em até 72%.

O hormônio do crescimento é predominantemente secretado durante as primeiras horas da noite. Como o álcool tende a interromper os ritmos naturais do sono, ele pode diminuir a quantidade de hormônio do crescimento liberado em até 70%.

O impacto da comida e da bebida no alcance das metas de treinamento não pode ser exagerado. Embora a chave para qualquer programa de treinamento e plano de nutrição de longo prazo seja a moderação, é vital que você e seus clientes entendam o impacto do álcool nos ganhos musculares.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.