Quarta, 03 de Junho de 2020 01:07
67984690667
Saúde Grupo de risco

Jovens obesos e a relação com mortes por covid-19

Enfermidade é a mais relacionada às mortes de pessoas com menos de 60 anos de idade

11/05/2020 18h05 Atualizada há 3 semanas
Por: Jean Hipólito Fonte: UFMG
Jovens obesos e a relação com mortes por covid-19

Seguir uma dieta saudável é muito importante durante a pandemia de COVID-19. O que comemos e bebemos pode afetar a capacidade do nosso corpo de prevenir, combater e recuperar de infecções.

Embora nenhum alimento ou suplemento alimentar possa prevenir ou curar a infecção por COVID-19, dietas saudáveis ​​são importantes para apoiar o sistema imunológico. Uma boa nutrição também pode reduzir a probabilidade de desenvolver outros problemas de saúde, incluindo obesidade, doenças cardíacas, diabetes e alguns tipos de câncer.

Covid-19 e a obesidade na juventude

A obesidade é uma doença crônica, considerada fator de risco para o desenvolvimento de diversos quadros patológicos. Dentre eles, infarto, hipertensão e diabetes são os mais conhecidos por sua relação direta. Agora, com o novo coronavírus, ela também é um dos principais fatores para o agravamento da covid-19. Mas, o destaque é que o número de óbitos alerta sobre o perigo dessas comorbidades principalmente ao grupo com menos de 60 anos de idade, que não são considerados “grupo de risco”.

De acordo com o último Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde sobre o novo coronavírus, do número de óbitos de todos os grupos de risco (com cardiopatia, diabetes, pneumopatia, doença neurológica ou renal), a maioria era indivíduos idosos (60 anos ou mais), exceto quando a comorbidade associada era a obesidade. Mais da metade das pessoas obesas que morreram devido à covid-19 tinha menos de 60 anos. No entanto não é possível saber uma média de idade do grupo.

O dado é um sinal de alerta para o país, já que a obesidade teve um aumento expressivo nos últimos anos. De acordo com o Ministério da Saúde, o número de pessoas obesas no Brasil cresceu cerca de 68% no período de 2006 a 2018.

Por que a obesidade é um fator de risco?

Para uma pessoa ser considerada obesa, o critério mais utilizado é o índice de massa corpórea (IMC). O professor do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, Josemar de Almeida explica o cálculo: divide-se a massa (em quilogramas) do indivíduo pelo valor da altura (em metros) ao quadrado. Caso o resultado seja maior ou igual a 30 Kg/m2, considera-se o indivíduo obeso.

No entanto, outro critério utilizado é a medida da circunferência abdominal. De acordo com Josemar, se ultrapassar 88 cm, no caso das mulheres, e 102 cm nos homens, a pessoa pode ser considerada obesa, mesmo que o IMC seja menor que 30 Kg/m2. E quais as causas da doença?]

O professor também explica o porquê de o acúmulo de gordura ser um possível fator de agravamento de doenças. No caso do novo coronavírus, ele lembra que o risco aumentado pela obesidade não é para ser infectado, mas de ter complicações se isso acontecer, podendo precisar de internação, inclusive em CTI, e precisar de respiração ou ventilação mecânica.

Dicas para manter uma dieta saudável:

1. Coma uma variedade de alimentos, incluindo frutas e legumes

2. Corte o sal

3. Coma quantidades moderadas de gorduras e óleos

4. Limitar a ingestão de açúcar

5. Mantenha-se hidratado: beba bastante água

6. Evite o uso de álcool perigoso e prejudicial

7. Amamente bebês e crianças pequenas

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.