CANAL SUPINANDO
ESPORTE OPEN PANTANAL 970X250
Suplementação

Tire 7 principais dúvidas sobre o consumo de leucina

É essencial compreender como os aminoácidos agem no corpo para que possamos fazer bom uso e obter os melhores resultados

18/09/2019 14h23Atualizado há 5 meses
Por: Jean Hipólito
Fonte: Max Titanium

Se você pratica alguma atividade física, provavelmente já deve ter visto alguém tomando ou falando sobre suplementos. Mas mesmo com anos de prática, é importante ter informações sobre o tema antes de sair ingerindo qualquer tipo de suplementação. A mesma coisa acontece com a leucina. 

Ela faz parte dos aminoácidos conhecidos como  BCAAs (aminoácidos de cadeia ramificada), que não são produzidos pelo nosso organismo. Estes são responsáveis por um terço da nossa ingestão de proteínas e são importantes na dieta, principalmente para atletas e praticantes de atividades desportivas que desejam ter ganho de massa muscular. 

É essencial compreender como os aminoácidos agem no corpo para que possamos fazer bom uso e obter os melhores resultados. Quer saber como a leucina trabalha? Então, continue a leitura! Vamos tirar as 7 principais dúvidas sobre o assunto! 

1. O que é Leucina?

Também conhecida como L-Leucina, é o aminoácido de cadeia ramificada mais importante do grupo de BCAAs. Assim como a isoleucina e a valina, também é essencial, ou seja, não é produzida naturalmente. Sendo assim, deve ser obtida por meio da alimentação e da suplementação para manter o físico funcionando adequadamente. 

A deficiência de leucina pode fazer com que seu corpo não absorva as proteínas, independentemente da quantidade consumida. Resumindo: sem a leucina a maior parte do seu consumo de proteína será perdido. E todo bom praticante de exercício sabe que, sem essa absorção, o ganho de massa muscular não poderá ser mantido. 

2. Principais Funções

A leucina afeta diretamente o desenvolvimento muscular, pois sinaliza processos responsáveis pela síntese de proteína do nosso músculo. Sendo assim, é essencial para desenvolver a massa muscular e o faz de maneira muito mais eficiente que os demais aminoácidos. Isso porque é convertida em glicose no sangue mais rápido que a valina e a isoleucina, aumentando, assim, a produção da insulina. Isso se transforma em energia no organismo — componente ideal para melhorar o seu desempenho durante os treinos. 

É por esse motivo que é muito popular entre os atletas e praticantes de atividades físicas. A leucina também pode trazer outros efeitos para o corpo, como a manutenção dos ossos e da pele após traumas. Ela é muito recomendada para pessoas que já passaram por cirurgias e estão na fase de recuperação. 

3. Quais são seus benefícios?

Apesar de seu uso ser indicado principalmente para o desenvolvimento da massa muscular, a leucina também é conhecida por acelerar o processo de recuperação muscular. Sabe aquele dia em que você pratica pesado algum exercício de força ou resistência? 

Parece que o corpo não vai se recuperar, não é mesmo? O consumo da leucina após praticar esse tipo de atividade traz resultados positivos, reduzindo o desgaste dos músculos e diminuindo a sensação de esgotamento das reservas de glicogênio. 

4. Qual é a maneira certa de consumo?

A dose varia de acordo com a necessidade da pessoa. Na forma isolada, as marcas nacionais de suplementos geralmente recomendam o consumo entre 1 a 1,2 gramas por dia. Claro que é indispensável a consulta com um nutricionista para que ele passe a dose correta, a fim de que você possa ter os melhores resultados. 

O ganho de massa muscular pode vir com o uso de leucina, mas é necessária também a complementação de outros aminoácidos por meio da alimentação ou suplementação. É melhor fazer a ingestão dentro de um contexto proteico, variando com proteínas de origem animal ou vegetal que já têm muitos aminoácidos. 

Uma boa dica é consumir leucina junto com o carboidrato e a proteína para poder potencializar seus ganhos. Faça, também, uma mistura dela com o seu Whey Protein e a Dextrose. O consumo desses três produtos de uma vez só garante a recuperação do corpo de forma energética e muscular. 

5. Quais alimentos têm leucina?

Apesar de o uso mais comum da leucina ser por meio da suplementação, também é possível obter os benefícios desse aminoácido a partir da ingestão de certos alimentos. Existem ingredientes ricos nesse poderoso nutriente que podem ser encontrados facilmente na nossa cozinha. Veja alguns deles: 

Amendoim;

Castanha;

Avelã;

Pepino;

Tomate;

Berinjela;

Repolho;

Quiabo;

Espinafre;

Feijão;

Ervilhas;

Carnes;

Ovos;

Arroz integral;

Leite;

Farinha de soja;

Trigo integral.

6. Quais são os tipos de suplemento?

Se você é daquelas pessoas que não consegue ingerir grande variedade de alimentos, é melhor utilizar a leucina em forma de suplementação. Ela pode ser encontrada em diversos tipos de suplementos. Os mais comuns aparecem na forma isolada ou nos BCAAs que têm os três aminoácidos de cadeia ramificada: leucina, isoleucina e valina. 

Lembre-se: Se a sua dieta não for rica em proteínas, tomar apenas algumas doses de leucina isolada não vai oferecer os melhores resultados. Nesses casos, é melhor tomar um suplemento para promover um equilíbrio dos aminoácidos de cadeia ramificada no corpo. 

7. Quando consumir?

Já falamos o que é a leucina, para que serve, quais são seus benefícios, como consumir, em quais alimentos e suplementos ela está presente. Mas quando é preciso fazer uso desse aminoácido? Você sabe dizer? Calma! Vamos apresentar alguns casos nos quais a ingestão se faz necessária: 

Alimentação deficiente

A correia do dia a dia às vezes nos impede de comer direito. É reunião do trabalho, compras a fazer, casa para cuidar, enfim! São milhares de situações que tiram o tempo necessário para fazer uma alimentação saudável e equilibrada. A consequência vem na forma de deficiências nutricionais, e estas podem ser contornadas com o uso da leucina. 

Atividade física intensa

Há pessoas que gostam de praticar exercícios mais intensos, como musculação e até mesmo o crossfit. Por conta do alto gasto energético e do esforço intenso dos músculos, pode ser necessário fazer um reforço de leucina por meio da suplementação. 

Enfraquecimento muscular

A perda de massa, da força e da função da musculatura esquelética é causada por diversos fatores: desnutrição, vida sedentária, doenças e problemas da idade. Em todos esses casos pode ser indicado o uso da suplementação. Mas atenção! Só faça isso após passar pela avaliação de um profissional competente e realizar exames. 

Como podemos ver, a leucina é um importante aliado não só para quem treina, mas também para quem quer ter uma vida mais saudável. Claro que é fundamental procurar um especialista antes de fazer uso de qualquer suplemento. O conhecimento é a principal chave para potencializar seus resultados na malhação ou no dia a dia.